Tire o dia para celebrar a si mesmo

12:15


(Imagem: via)

Um título no mínimo narcisista, mas uma causa importante. Nesse mundo de selfies, recomendar uma coisa dessas parece coisa de gente egocêntrica. Afinal, cada foto que postamos não é um jeito de nos celebrar? Não mesmo.

É extremamente fácil viver de aparências e dizer que está feliz consigo mesmo. Eu faço isso, você faz, seu vizinho faz. Quando chega a noite, é hora de tirar a calça jeans, a maquiagem e o sapato que te faz parecer com 1,75m. Sabe o que resta? Você. Simplesmente você. Sem camadas extras ou a necessidade de parecer bem.

Gosto muito da frase “It’s easy to love someone when they’re happy. What’s hard is loving someone when they’re crying on the bathroom floor at 2 a.m. because everything came crashing down at once”*. Acho que representa bem o que eu quero expressar. Muitas vezes, nos vemos amando alguém inteiramente, quando na verdade conhecemos só uma parte. E não, não estou falando de falsidade. Ninguém consegue se revelar por completo, sempre vai existir aquela partezinha que você guarda no pote da sua alma.

Sempre tem aquele momento, em qualquer relacionamento, que deixamos escapar um pouquinho da nossa personalidade escondida. E esses momentos que são a prova de fogo. “Você nunca vai me conhecer por inteiro, mas aceita essa outra eu?” é a pergunta que fazemos quando, cansadas de manter a pose, acabamos naquele mesmo chão do banheiro.

O problema de tudo isso é que não nos conhecemos direito. Queremos jogar toda a responsabilidade na mão de outra pessoa e acabamos (desculpem o vocabulário) nos ferrando. Os motivos? Já expliquei. Só você pode abrir aquele pote. Não adianta se entregar à alguém sem antes sabe o que se passa lá dentro da sua alma.

Está permitido se permitir. Se celebrar. Se conhecer.



*É muito fácil amar uma pessoa quando ela está feliz. O que é difícil é amá-la quando ela está chorando no chão do banheiro às duas horas da manhã porque tudo desmoronou de uma vez.”  

Talvez você se interesse por

0 comentários