Resenha: Extraordinário - R.J. Palacio

19:52


Fiquei muito tempo pensando como eu começaria essa resenha, porque de todos os modos que pensei, nenhum seria bom o suficiente para introduzir à vocês o quão maravilhoso foi esse universo do livro "Extraordinário" desde as primeiras palavras, conhecendo Auggie, até as últimas, me despedindo dele.

Uma coisa que eu gosto é a simplicidade do resumo que geralmente vem na contra-capa do livro. Eles te falam de maneira pura como o livro é, mas, ao mesmo tempo, deixam implícito todas as maravilhas (ou não) que o mesmo contêm. É como se abrissem a porta do paraíso pra você e tudo o que você precisa é abrir o livro para entrar. Uma metáfora meio boba, mas com certeza a que melhor descreve o universo dos livros.


Como não possuo o dom de resumir as coisas e preciso abrir pra vocês as portas desse paraíso, colocarei aqui o resumo padrão do livro:

"August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso ele nunca frequentou uma escola de verdade... até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros."

Uma coisa que eu gosto de ver em livros é a quebra de padrões de beleza. É muito mais fácil para os autores retratarem pessoas bonitas com sorrisos brilhantes e pele de ouro. Digamos assim que é muito mais amável. Analisando os best-sellers da atualidade, a maioria contém esse estereotipo. Mas, uma das coisas que eu mais gostei e pela qual me apaixonei nesse livro (além de que sem essa característica nem teria sentido), foi a aparência do Auggie. Eu nunca tinha ouvido falar de sua síndrome e admiro a autora por ter feita tamanha pesquisa em relação a tal. Pra mim, isso é uma das coisas mais importantes para a formação de um bom escritor.



Achei melhor "organizar" a resenha, citando algumas frases do livro e falando o efeito de cada uma em mim. Por isso, aí vão algumas das frases que mais me marcaram.

"Mamãe e papai também não me acham comum. Eles me acham extraordinário. Talvez a única pessoa do mundo que percebe o quanto sou comum seja eu." - Auggie

Essa é uma das frases iniciais do livro e que faz jus ao seu título. Em todos os modos que uma pessoa pode ser extraordinária, certamente August seria por sua aparência. (Embora a autora tente descrever aos poucos o personagem, só consegui visualizar realmente ao pesquisar na internet). Mas a questão é que ao ler, e digo realmente ler o livro, você percebe que Auggie não é extraordinário só por causa de seu rosto. Ele possui as características mais admiráveis em uma pessoa: gentileza e bondade. "O essencial é invisível aos olhos" e "A verdadeira beleza não está no exterior" seriam frases que descreveriam perfeitamente o fato do personagem não ter uma aparência convencional mas ser excepcional.

"Todo que é nascido (de Deus) vence o mundo."

Antes de expressar o que senti ao ler essa frase, queria que não considerassem nada religioso, por isso coloquei os parênteses. Não tem nada a ver com a pessoa ser cristã e por isso vencer o mundo. Por favor. Enfim, todo mundo quer vencer o mundo. Seja por ser lembrado, ou por ter um milagre, por ganhar dinheiro ou qualquer coisa. Mas às vezes, ficamos tanto tempo presos tentando achar algo que nos faça diferentes e que nos dê um sentido na vida que esquecemos que o simples fato de estarmos vivos já é uma vitória. Inúmeras coisas poderiam ter acontecido, mas não, você está aqui. Parabéns, não precisa mais se preocupar, você já venceu o mundo.


"Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil."

Não podemos escolher as pessoas que cruzam nosso caminho, mas com certeza, podemos escolher como as tratamos. Muita gente, todos os dias, nos irrita e nos magoa mas analisando todas as nossas opções e escolhendo a melhor delas: a gentileza é a melhor. Uma grosseria não vai ter fazer sentir melhor e com certeza, não te fará uma pessoa melhor.

"Acho que devia haver uma regra que determinasse que todas as pessoas do mundo tinham que ser aplaudidas de pé pelo menos uma vez na vida."

"Toda pessoa deveria ser aplaudida de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos nós vencemos o mundo"

Juntei as duas frases porque elas falam basicamente a mesma coisa mas em momentos diferentes. De todo jeito, as suas merecem estar aqui. Como eu disse anteriormente e o livro também, todos nós vencemos o mundo pelo simples fato de estarmos vivo. Essa é uma das mensagens que eu mais gostei no livro: nós vencemos. Mesmo que você nunca tenha sido aplaudido de pé, saiba que você é sim um vencedor.



Essa outra frase eu não vou comentar pelo simples fato dela já falar por si mesma. Pode ser que minha tentativa se explicar sua essência e maravilhosidade seja falha e eu não quero me arriscar a isso. Não posso tentar explicar as tão extraordinárias palavras de R. J. Palacio. Por isso, apenas a citarei.

"{...} Não, não é tudo um acaso. Se fosse, o universo nos abandonaria à própria sorte. E o universo não faz isso. Ele cuida das suas criações mais frágeis de formas que não vemos. Como com pais que amam cegamente. E uma irmã mais velha que se sente culpada por ser humana em relação a você. E um garotinho de voz grave que perdeu seus amigos por sua causa. E até uma garota de cabelo rosa que carrega sua foto na carteira. Talvez seja uma loteria, mas o universo deixa tudo certo no final. O universo cuida de todos os seus pássaros." - Justin

Informações sobre o livro
Título original: Wonder
Autora: R. J. Palacio
Editora: Intrínseca
Nº de páginas: 318

Talvez você se interesse por

0 comentários