Resenha: Eleanor & Park - Rainbow Rowell

17:11

Começo essa resenha com uma frase do John Green que vem na parte de trás do livro: "Uma linda e perturbadora história de amor" e outra de Stephanie Perkis (autora de Anna e o beijo francês): "Uma leitura ótima e dolorosa sobre o amor e outsiders".

De verdade, acho que não existem melhores palavras pra convencer uma pessoa a ler um livro de romance. Eleanor & Park foi um dos livros que me conquistou logo de primeira e eu não pude esperar pra comprar. A sinopse me encantou, assim como a capa. Enfim, todo detalhe visual do livro me fizeram enlouquecer e querer tê-lo logo. Era como se se eu não tivesse aquele livro, eu não conseguiria respirar.


SINOPSE: Eleanor & Park é engraçado, triste, sarcástico, sincero e, acima de tudo, geek. Os personagens que dão título ao livro são dois jovens vizinhos de dezesseis anos. Park, descendente de coreanos e apaixonado por música e quadrinhos, não chega exatamente a ser popular, mas consegue não ser incomodado pelos colegas de escola. Eleanor, ruiva, sempre vestida com roupas estranhas e “grande” (ela pensa em si própria como gorda), é a filha mais velha de uma problemática família. Os dois se encontram no ônibus escolar todos os dias. Apesar de uma certa relutância no início, começam a conversar, enquanto dividem os quadrinhos de X-Men e Watchmen. E nem a tiração de sarro dos amigos e a desaprovação da família impede que Eleanor e Park se apaixonem, ao som de The Cure e Smiths. Esta é uma história sobre o primeiro amor, sobre como ele é invariavelmente intenso e quase sempre fadado a quebrar corações. Um amor que faz você se sentir desesperado e esperançoso ao mesmo tempo.

Nunca na minha breve história de vida (14 anos de 2 meses) eu tinha visto um livro com uma sinopse tão encantadora. Na moral, como resistir a um romance geek que têm como "trilha sonora" The Smiths e The Cure? A resposta: não resista.


Outra coisa que também me encantou foi a capa. A tipografia, o design, o quadrinho escrito "romance" e o desenho muito fofo da Eleanor e do Park. Uma das melhores capas que já vi até hoje, se não, a melhor. Eu poderia ficar um bom tempo olhando. A propósito, no momento, o livro está ao meu lado e eu fico revesando entre olhar pra ele e escrever.

Como arranjei de fazer resenhas que dá certo pra mim, que é selecionar frases e comentá-las, aqui vai.

"Segurar a mão de Eleanor era como segurar uma borboleta. Ou um batimento cardíaco. Como segurar algo completo, e completamente vivo."

Primeiramente, as metáforas usadas nessa frase foram fantásticas. O jeito que Park descreveu um simples ato como segurar a mão nos faz perceber, só a lendo, que ele estava totalmente apaixonado por Eleanor. Ah...

"Eu não gosto de você. Eu vivo pra você. Eu acho que nem respiro quando não estamos juntos."

As declarações desse livro me fazem perder a cabeça, realmente. Em meio todo ao universo bagunçado de Eleanor e as relações familiares difíceis de Park, eles tentam se achar um no outro, com sucesso, admito. O amor deles parece ser a única coisa sustentável e segura em suas vidas. Intrigante e maravilhoso. Parabéns, Rainbow!

"Não sou nem mesmo minha agora, eu sou sua."

Como eu disse anteriormente, eles se encontram um no outro. Eleanor, nessa frase, prova que está tão devora a Park que todo o seu ser é dele. Pode parecer estranho e exagerado mas é lindo, poético. Acho que essa frase, só lendo o livro pra entender...

Bom, pessoal, é isso. Eu realmente recomendo Eleanor & Park para todos os românticos e para os não-românticos também. Mesmo se achar bobeira toda essa historinha de amor, pelo menos, aprecie a maravilhosidade do enredo de Rainbow Rowell.

Informações sobre o livro
Título original: Eleanor & Park
Autora: Rainbow Rowell
Editora: Novo Século
Nº de páginas: 328
Onde comprar: Saraiva / Submarino

Talvez você se interesse por

0 comentários