Escudos

22:18


Por mais que tentemos construir paredes ao nosso redor, sempre tem uma brecha. Um erro que prova que a estrutura é falha. É por essa brecha que a luz entra. A esperança entra. E aí aos poucos as paredes vão se desfazendo até só restar uma poeira.

Só que essa esperança que entra, se transforma em outra coisa. Ela muda sua forma e você percebe que foi enganado. Você vai reconstruindo as paredes, pouco a pouco. Enquanto isso o sentimento que te fez destruí-las, começa a destruir você. Te corroer aos poucos, assim como fez com as paredes.

O ciclo se segue até que você percebe que as barreiras sempre vão ter falhas. Aquela esperança falsa sempre vai entrar e vai destruir cada vez mais. Então temos que nos tornar nossos próprios escudos. Autossuficientes e indestrutíveis.

Talvez você se interesse por

0 comentários